O QUE É A HIPOGLICEMIA?

O QUE É A HIPOGLICEMIA?

A Hipoglicemia não é uma doença, mas uma condição que ocorre quando a taxa de glicose no sangue diminui para valores inferiores ao normal, caracterizada pelos níveis baixos de glicose no sangue.

Com a diminuição da glicose, as células cerebrais carecem de energia. Assim, as demais células do corpo conseguem obtê-la através da quebra de gorduras e proteínas que estão armazenadas.

É também uma das complicações mais graves relacionadas ao tratamento do Diabetes, principalmente a do tipo 1, mas as pessoas saudáveis não estão totalmente livres do risco dela.

Os sintomas geralmente se manifestam de forma súbita. A hipoglicemia é o contrário de hiperglicemia. Ainda há a hipoglicemia noturna, silenciosa, ela acomete cerca de 70% dos pacientes com Diabetes tipo 1.

AS CAUSAS DA HIPOGLICEMIA:

Sua causa mais comum é a administração dos medicamentos antidiabéticos, como a insulina e as sulfonilureias, bem como a ingestão excessiva de álcool. Outras causas da Hipoglicemia incluem:

  • Jejum: mais de 3 horas sem comer, alimentação insuficiente ou que não fornece açúcares e carboidratos em quantidades suficientes.
  • Esforço físico em excesso: o funcionamento dos músculos pode consumir a glicose disponível no sangue e o corpo pode não ter tido tempo de liberar suas reservas. É sempre temporário nos indivíduos sadios.
  • Consumo de bebidas alcoólicas com o estômago vazio.
  • Não tomar a Insulina na dose ou horário correto.
  • Mudança no local da dose de insulina.

 

O QUE É A HIPOGLICEMIA?

 

MEDICAMENTOS QUE PODEM PROVOCAR A HIPOGLICEMIA:

Certos medicamentos podem produzir hipoglicemia. O mais comum deles é a insulina, hipoglicemiantes/antidiabéticos orais, entre outros. Por isto é preciso muito cuidado!

Veja quais são os medicamentos:

  • Aspirina
  • Anti-inflamatórios não-esteroides
  • Betabloqueadores não-cardiosseletivos
  • Quinidina
  • Blguanidina
  • Metformina
  • Propanolol
  • Tolbutamida (Artrosil, Diaval)
  • Glibenclamida (Glionil, Gliformin)
  • Glipizida (Luditec, Minidiab)
  • Gliclazida (Diamicron)
  • Obinese

 

O QUE É A HIPOGLICEMIA?

TIPOS DE HIPOGLICEMIA:

Pode ser classificada em leve, moderada e grave, como se segue:

  • HIPOGLICEMIA LEVE

Quando o paciente começa a sentir sintomas e sinais como tremores, palpitações, suor e fome em excesso.

  • HIPOGLICEMIA MODERADA

Juntamente com os sinais do tipo leve, o paciente sente sintomas neuroglicopênicos: cefaleia, irritabilidade, dificuldade de concentração e sonolência.

  • HIPOGLICEMIA GRAVE

Neste tipo o paciente requer cuidados de outra pessoa, POIS poderá apresentar inconsciência, convulsões e/ ou irresponsividade. 

Ainda há a hipoglicemia de jejum com diabetes e sem a diabetes. Vejamos: 

HIPOGLICEMIA DE JEJUM COM DIABETES

Se as taxas de glicose na corrente sanguínea indicarem mais de 126 mg/dL no jejum por dois momentos consecutivos, então o paciente é diagnosticado com diabetes. Mas se ficarem com menos de 45 mg/dL, o paciente pode ter a hipoglicemia. Assim, esta pessoa também pode ser hipoglicêmica.

As taxas de glicose de diabéticos na corrente sanguínea são mais altas que o normal. Para isso, os médicos indicam medicamentos ou insulina para auxiliar na regulação dos níveis de açúcar.

A dose de insulina que a pessoa irá aplicar depende sempre da quantidade de carboidrato ingerido no dia. Pode acontecer, no entanto, de uma pessoa acabar injetando mais insulina do que o necessário, levando-a, assim, a um quadro de hipoglicemia.

Desta forma, recomenda-se depois de tomar os medicamentos não praticar exercícios físicos intensos, pois eles demandam maior uso da glicose presente na corrente sanguínea.

HIPOGLICEMIA DE JEJUM SEM DIABETES

A hipoglicemia não é associada exclusivamente a diabetes. Diversos outros fatores podem contribuir para que um indivíduo tenha níveis baixos de açúcar no sangue. Entre eles estão: 

  • MEDICAMENTOS: ingerir remédios errados pode levar a um quadro de hipoglicemia, principalmente em crianças e adultos com problemas renais. Ainda, consumir medicamentos como a quinina (usada para tratar malária) pode ocasionar desenvolvimento do distúrbio.
  • CONSUMO EXCESSIVO DE ÁLCOOL: ingerir grandes quantidades de álcool sem ter se alimentado antes pode fazer com que o pâncreas seja incapacitado de produzir insulina.
  • ALGUMAS DOENÇAS CRÓNICAS: problemas no pâncreas e nos rins, como: tumor e hepatite severa, também podem causar hipoglicemia, bem como passar um longo período sem se alimentar, principalmente em casos de anorexia.
  • DEFICIÊNCIAS ENDÓCRINAS: problemas no funcionamento das glândulas adrenais podem provocar deficiências em hormônios-chave para a produção de glicose. As crianças são mais acometidas a estas deficiências. 

O QUE É A HIPOGLICEMIA REATIVA?

Ela é caracterizada pela falta de açúcar no sangue que ocorre entre 1 hora e meia e 3 horas após a ingestão de alimentos ricos em açúcar ou carboidratos, que podem afetar diabéticos ou não diabéticos.

A hipoglicemia reativa provoca sintomas como: dor de cabeça ao estar com fome e aumento no desejo de comer doces. Por isto, deve ser tratada consumindo alimentos com baixo índice glicêmico como os integrais, para reequilibrar a taxa de glicose na corrente sanguínea. 

O QUE É A HIPOGLICEMIA NEONATAL (EM RECÉM NASCIDO)?

Este tipo de hipoglicemia ocorre quando o índice de açúcar no sangue do recém-nascido é menor que 40mg/dl. Isto costuma acontecer nas primeiras 72 horas de vida. Se o diagnóstico e tratamento não forem realizados a tempo, podem levar o recém-nascido a óbito ou a danos cerebrais permanentes. Por isto, é importante que os pais e pediatra estejam atentos neste período a fim de realizar o diagnóstico precoce.

SINTOMAS DA HIPOGLICEMIA.

Os sinais e sintomas mais comuns do paciente começam a se manifestar quando o seu nível de glicemia for inferior a 60 mg/dl; podendo apresentar:

  • Tremedeira
  • Nervosismo
  • Ansiedade
  • Suores e calafrios
  • Irritabilidade e impaciência
  • Confusão mental e até delírio
  • Taquicardia, coração batendo mais rápido que o normal
  • Tontura ou vertigem
  • Fome e náusea
  • Sonolência
  • Visão embaçada
  • Sensação de formigamento ou dormência nos lábios e na língua
  • Dor de cabeça
  • Fraqueza
  • Fadiga
  • Raiva ou tristeza
  • Falta de coordenação motora
  • Pesadelos e choro durante o sono
  • Convulsões
  • Inconsciência

 

O QUE É A HIPOGLICEMIA?

QUAL PROFISSIONAL DEVO PROCURAR E QUAL O DIAGNÓSTICO?

O clínico geral, o endocrinologista ou o diabetólogo. Normalmente o médico fará o diagnóstico inicial pela avaliação clínica, e utilizará a chamada "tríade de Whipple", que consiste em:

  • Glicemia plasmática abaixo de 70 ml/dL
  • Sintomas e sinais clínicos compatíveis com a hipoglicemia
  • Alívio das manifestações clínicas com a normalização da glicemia 

QUAL O TRATAMENTO? A HIPOGLICEMIA TEM CURA?

A condição não tem cura, mas há tratamento, que o paciente pode iniciar assim que os sintomas também se iniciarem ou durante uma crise de Hipoglicemia, que consiste em:

  • Consumir de 15 a 20 gramas de carboidratos, como 1 colher de sopa de açúcar dissolvida em água ou 1 colher de sopa de mel (exceto para crianças menores de 1 ano), refrigerante comum, não diet (um copo de 200 ml), 1 copo de suco de laranja integral etc.
  • Verificar a sua glicose depois de 15 minutos. Os pacientes devem adquirir o hábito de fazer a medição de glicose.O QUE É A HIPOGLICEMIA?ATENÇÃO DIABÉTICOS!

Não mantenham níveis altos de glicemia para evitar as crises de hipoglicemia, pois podem haver complicações a longo prazo.

Se a glicose continuar baixa, repita os processos. Assim que a taxa voltar ao normal, faça um pequeno lanche, caso a próxima refeição estiver planejada para 1 ou 2 duas horas depois. 

CUIDADO COM TRATAMENTOS FITOTERAPICOS!

Há plantas medicinais consumidas durante o tratamento da Diabetes tipo 1 que podem causar hipoglicemia, entre elas estão:

  • Melão de São Caetano (Mormodica charantia)
  • Guisante negro ou Lyon-bean (Mucuna pruriens)
  • Jamboläo (Syzygium alternifolium)
  • Babosa (Aloe vera)
  • Malva branca (Sida cordifolia L.)
  • Canela (Cinnamomum zeylanicum Nees)
  • Eucalipto (Eucalyptus globulus Labill)
  • Ginseng (Panax ginseng)
  • Artemísia (Artemisia santonicum L.)

O QUE É A HIPOGLICEMIA?

ATENÇÃO!

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento são os mais indicados para o seu caso em específico.

AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESSE SITE TÊM APENAS A INTENÇÃO DE INFORMAR, NÃO PRETENDENDO, DE FORMA ALGUMA, SUBSTITUIR AS ORIENTAÇÕES DE UM ESPECIALISTA OU SERVIR COMO RECOMENDAÇÃO PARA QUALQUER TIPO DE TRATAMENTO.

 

FONTE: Renato Ramos Pinheiro – Endocrinologista

Revista AMNI – agosto/2018